Recomeçar, com Sísifo

DIA VENCIDO

O Sísifo de Camus, em 1941, é o Homem em busca de sentido, unidade e clareza no rosto de um mundo ininteligível desprovido de Deus e eternidade. Este de Torga parece mais optimista e obstinado.
Eu prefiro este…
Bom ano

Ler mais Comentários (0)
Tags:

[2248.] ‘Fúria de Loucura mansa’

DIA VENCIDO
caravela

É este sopro humano /Universal /Que enfuna a inquietação de Portugal.
É esta fúria de loucura mansa /Que tudo alcança /Sem alcançar.

Ler mais Comentários (0)
Tags:

[2225.] Ser LIVRE!

DIA VENCIDO
velas-vigilia-paris

«Livre não sou, que nem a própria vida/ Mo consente./Mas a minha aguerrida/Teimosia/É quebrar dia a dia/Um grilhão da corrente.»
Miguel Torga in ‘Cântico do Homem’
EM MEMÓRIA DAS VITIMAS DOS ATENTADOS DE PARIS DE 13NOV15

Ler mais Comentários (0)
Tags:

[2210.] Outonar

DIA VENCIDO

«Se é de morte ou de vida, /
Não é comigo. /
Eu, simplesmente, digo /
Que há fantasia /
Neste dia»

Ler mais Comentários (0)
Tags:

[1759.] Escrito nas penedias

Geral
Tags:

[1345.] Saturni dies… da liberdade em forma de barco

Geral

Poema “Ariane”, de Miguel TorgaDito por José Rego da Cruz«Um Poema por Semana», RTP2

Ariane é um navio. Tem mastros, velas e bandeira à proa, E chegou num dia branco, frio, A este rio Tejo de Lisboa.

Carregado de Sonho, fundeou Dentro da claridade destas grades… Cisne de todos, que se foi, voltou …

Ler mais Comentários (0)
Tags:

[1223.] Saturni dies

Geral

Portugal

Avivo no teu rosto o rosto que me deste,E torno mais real o rosto que te dou.Mostro aos olhos que não te desfiguraQuem te desfigurou.Criatura da tua criatura,Serás sempre o que sou.

E eu sou a liberdade dum perfilDesenhado no mar.Ondulo e permaneço.Cavo, remo, imagino,E descubro na bruma o meu destinoQue de antemão conheço:

Ler mais Comentários (0)
Tags:

[1214.] Saturni dies

Geral

Conquista Livre não sou, que nem a própria vidaMo consente.Mas a minha aguerridaTeimosiaÉ quebrar dia a diaUm grilhão da corrente.

Livre não sou, mas quero a liberdade.Trago-a dentro de mim como um destino.E vão lá desdizer o sonho do meninoQue se afogou e flutuaEntre nenúfares de serenidadeDepois de ter a lua!

Miguel Torga, in ‘Cântico …

Ler mais Comentários (0)
Tags:

[1121.] Visto isto

Geral

«Chaque jour nous laissons une partie de nous-mêmes en chemin»*

*Em cada dia, deixamos uma parte de nós mesmos no/pelo caminhoTradução livreNuma peregrinação ao ‘templo’, desta vez em domingo abafado e triste, esbarrei com …

Ler mais Comentários (0)
Tags:

[1120.] Saturni dies

Geral

Cântico de Humanidade

Hinos aos deuses, não.Os homens é que merecemQue se lhes cante a virtude.Bichos que lavram no chão,Actuam como parecem,Sem um disfarce que os mude.

Apenas se os deuses queremSer homens, nós os cantemos.E à soga do mesmo carro,Com os aguilhões que nos ferem,Nós também lhes demonstremosQue são mortais e de barro.

Miguel …

Ler mais Comentários (0)
Tags: